Cepe Editora anuncia vencedores de seus prêmios literários

Criado: Quarta, 15 Setembro 2021 15:34

Uma contista do Maranhão, uma poeta de São Paulo e um romancista do Paraná são os vencedores do 6º Prêmio Cepe Nacional de Literatura, promovido pela editora pública pernambucana em 2020. O resultado do concurso foi divulgado nesta quarta-feira (15) no Diário Oficial do Estado (https://diariooficial.cepe.com.br). Também foram revelados os ganhadores do 3º Prêmio Cepe Nacional de Literatura Infantil e Infantojuvenil, uma escritora do Rio de Janeiro e um autor mineiro. A Cepe registrou 2.515 obras inscritas nos dois concursos, do Brasil e do exterior.

Jornalista, escritor, artista visual e doutorando em Teoria e História Literária na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp/SP), Paulo Marcelo Fehlauer é paranaense da cidade de Marechal Cândido Rondon e há anos radicado em São Paulo. Desde 2008, desenvolve um premiado trabalho de pesquisa autoral em fotografia e artes visuais, já apresentado em instituições no Brasil e no exterior. Como escritor, é autor de Desperdedor, livro para crianças que aguarda publicação, além de ter poemas publicados em antologias internacionais.

Extremo Oeste,  obra selecionada pelo Prêmio Cepe, é o seu primeiro romance, um trabalho gestado ao longo dos últimos dez anos. O livro é ambientado em Guaíra - cidade do extremo Oeste do Paraná, fronteira com o Paraguai, ocupada pelos indígenas, invadida pelos espanhóis e  ambientalmente impactada pela hidrelétrica de Itaipu – e aborda traumas históricos, memórias e buscas pessoais de seu personagem principal. Paulo Marcelo Fehlauer destaca a importância do concurso literário para uma maior visibilidade de seu trabalho. “É sempre uma importante forma de reconhecimento. Apesar da grande produção literária no Brasil, os espaços ainda são restritos e é muito bom ter esse apoio para ver o livro saindo da gaveta e ganhando vida”.

“Estou muito emocionada com a conquista do Prêmio Cepe de Literatura. Ele dá grande visibilidade aos escritores e escritoras, encoraja a literatura nacional, insere novas vozes no campo literário e nos inspira a produzir. É um prêmio de grande prestígio e todos nós, autores, sonhamos com o dia em que seremos agraciados por ele. Muito feliz que meu dia chegou!”, declara a escritora e defensora pública do Estado do Maranhão Lindevania Martins, premiada na categoria Conto com Teresa Decide Falar. Lindevania já publicou três livros de conto e um de poesia.

O livro premiado, diz ela, “é composto por contos que falam sobretudo da experiência de viver em um mundo que tenta limitar o que somos e o que podemos ser. Os personagens ora aderem às expectativas, ora as desafiam, e sofrem sobre seus corpos e sua subjetividade o impacto dessas escolhas. Foi construído no meu dia a dia como escritora, defensora pública da mulher e população LGBT, poeta  e corpo trabalhador, surgindo dessa mistura entre realidade e imaginação, ato e sonho, das nossas múltiplas identidade e pertencimentos.”

A paulistana Lilian Sais é autora de Motivos Para Cavar a Terra, eleito o melhor livro entre os participantes do concurso na categoria Poesia. “Fiquei muito feliz ao receber a notícia. Acompanho o trabalho da editora e o prêmio Cepe há anos e é uma honra gigante ter tido um livro meu premiado nesse concurso. É uma alegria difícil de descrever”, declara Lilian Sais, que é poeta, doutora em letras, escritora, pesquisadora, roteirista e produtora, com dois livros publicados em 2018.

De acordo com ela, o livro “investiga o ato de cavar a terra para discutir temas contemporâneos, como as relações de trabalho, a pandemia de Covid e o superaquecimento global”. O título está dividido em seis seções e “traz uma presença forte da figura da mulher, que vai da coveira à lavradora que semeia o trigo para fazer o pão, que nos mantém vivos. Vida e morte permeiam os poemas, em múltiplas facetas”, resume a autora.

Infantojuvenil - Nesta 3ª edição do Prêmio Cepe Nacional de Literatura Infantil e Infantojuvenil, os vencedores foram Marcia Cristina Silva, do Rio de Janeiro, e Lucas Rafael Nolli Duarte, de Araxá-MG. Ela é professora de inglês, tradutora e advogada, autora de seis livros, venceu o prêmio Cepe na categoria Infantil com a obra O Encontro de Mario. Já o vencedor da categoria Juvenil, com a obra Achados e Perdidos, é formado em letras e geografia, autor de oito livros.

“Recebo a notícia da premiação como se fosse um combustível para continuar escrevendo, produzindo", diz Rafael Nolli, professor com formação em letras e geografia, vencedor do Prêmio Cepe na categoria Juvenil, com a obra Achados e Perdidos. Pode-se dizer que a obra é uma espécie de diário, que trafega pela crônica, pelo conto, se aproximando em alguns pontos até mesmo do ensaio. "Parte importante da história se desenvolve nas notas de rodapé, usadas como um espaço de fundamental importância no desenvolver da trama. Ali, editores, ilustradores e até mesmo o leitor, se tornam personagens do livro", ressalta. O título é dividido em três capítulos, que se complementam. A primeira parte apresenta as possibilidades existentes no ato de achar coisas (objetos, ideias, sentimentos). A segunda, por sua vez, mostra todas as tramas e possibilidades existentes no ato de perder. O último trata dos acasos, das imprevisibilidades.

O Encontro de Mário, da escritora e professora de oficinas literárias Marcia Cristina Silva, fala de um encontro de afeto e de crescimento, a história de uma amizade entre o menino de rua Mario e o consertador de relógios Gaspar. A narrativa mostra como esse encontro modifica a trajetória dos personagens para sempre. Muito emocionada, a carioca diz que a premiação significa o início de um novo ciclo. "A história mostra como minha vida também foi transformada pelo encontro com a leitura. Sou filha de empregada doméstica. Minha mãe trabalhava para uma família maravilhosa, que resolveu apostar em mim e me dar toda oportunidade de estudo. Hoje estou com pós-doutorado, graças a essas pessoas, que me incentivaram nos estudos e no gosto pelas histórias. Minha família espiritual. O encontro está aí!", conta.

Premiação -  Os vencedores de cada categoria do 6º Prêmio Cepe Nacional de Literatura recebem R$ 20 mil e os escolhidos de cada categoria do 3º Prêmio Cepe Nacional de Literatura Infantil e Infantojuvenil são contemplados com R$ 10 mil. Todos terão a obra publicada pela Cepe Editora. Para seleção dos trabalhos, o 6º Prêmio contou com duas comissões de especialistas.

Integraram a comissão inicial Gianni de Melo (poesia), Felipe André Silva (romance) e Valentine Herold (conto). A comissão de premiação foi composta por Veronica Stigger (escritora, jornalista, professora e crítica de arte e vencedora do Jabuti), Adelaide Ivánova (fotógrafa, poeta, escritora e vencedora do Prêmio Rio de Literatura) e Jeferson Tenório (escritor e doutor em Literatura). O prêmio de Literatura Infantil e Infantojuvenil teve a avaliação de Adriana Victor (escritora e jornalista); Cícero Belmar (escritor e jornalista) e Ermelinda Ferreira (professora de Letras da UFPE).

“Mais uma vez, os prêmios literários da Cepe são uma outra forma de trazer originais e autores de qualidade para o catálogo da editora. Ficamos muito contentes com esse duplo papel dos prêmios: a valorização dos autores e também a oportunidade de publicar as obras que, por motivos diferentes, despertaram algo singular nos integrantes do júri, destacando-se entre outras centenas”, declara o jornalista e editor da Cepe, Diogo Guedes.